Arquivo da categoria: Hotéis

Um achado na Patagônia

LOBERIAS DEL SUR – Aysén (Chile)

Situado na região de Aysén, no Chile, este hotel garante algumas das mais incríveis experiências para quem visita a pouco conhecida Patagônia Norte

Glaciar San Rafael

Fotos: Loberias del Sur/Paulo Mancha

Poucas vezes em minha carreira de repórter de turismo visitei um lugar tão remoto que tivesse, ao mesmo tempo, um hotel tão aconchegante. Assim é Porto Chacabuco, na Região de Aysén, na chamada Patagônia Norte. Ali fica o Hotel Loberías Del Sur – base para todos que querem explorar glaciares, montanhas, florestas e lagos dessas paragens ainda pouco conhecidas do Chile – tão enigmáticas quanto belas.

O hotel está a duas horas do pequeno aeroporto de Balmaceda, numa zona repleta de fiordes e picos nevados. Suas instalações ficam ao lado do diminuto porto que serve de entrada à XI Região do Chile e abastece cidades como Aysén e Coihaique – todas com menos de 100 mil habitantes.

Paraíso da pesca São 60 quartos duplos e mais 60 individuais, todos amplos, com banheiras, wi-fi gratuito e decorados com madeira nativa da região. Para quem viaja em família, muitos são conectados, sem contar os preparados para portadores de deficiência física.

A gastronomia se destaca, nessa região adorada por pescadores do mundo todo graças aos rios repletos de trutas enormes e braços de mar com outros peixes desafiadores. O Hotel conta com um restaurante de comida internacional, o Chucao, que prepara bons pratos da cozinha patagônica, como cordeiro, peixes e carnes. Sem falar nos frutos do mar (a região de Aysén fica relativamente perto da famosa Ilha de Chiloé) e, claro, da boa carta de vinhos chilenos.

Conforto dentro e fora Há ainda um bar onde se realizam diversos eventos noturnos, chamado providencialmente de “Glaciar”, onde pode-se desfrutar de uma boa variedade de licores, cervejas e petiscos. E completa o rol de opções gastronômicas a Cafeteria Arrayán, com uma inspiradora vista do porto de Chacabuco e dos navios que zanzam por ali.

Quem está hospedado tem à disposição ainda loja de artesanato, uma ampla academia de ginástica, sauna seca e uma piscina indoor aquecida, com nichos de hidromassagem.

Mas, a despeito do conforto interno, ninguém vai ao Loberias del Sur para ficar dentro de suas instalações. O hotel oferece atividades como visitas à reserva eco-turística Aikén Del Sur, passeios a cavalo, excursões de pesca, rafting, trekking, city tour em Coyhaique e Puerto Aysén, entre outros.

Gelos milenares – A atividade mais disputada, no entanto, é o passeio de catamarã até a Laguna San Rafael, que ao longo de 5 horas de navegação cruza fiordes, redutos de lobos marinhos, santuários de aves e termina onde um belíssimo fenômeno da natureza acontece: a queda dos gelos milenares do glaciar San Valentin.

O glaciar é uma das entradas para o Campo de Gelo Norte – a segunda maior massa de gelo do mundo fora das regiões polares, assentada por entre os picos da Cordilheira dos Andes.

Os espetaculares desprendimentos são acompanhados pelos turistas em botes que são alçados ao mar desde o catamarã Chaitén, para 100 pessoas. Por cerca de uma hora pode-se navegar pela borda do glaciar e fotografar a paisagem inesquecível. Depois, no caminho de volta, o staff do hotel serve aos passageiros o “whisky 1012 anos” – 12 da bebida e mil do gelo…

Hotel Loberias del Sur – Calle José Miguel Carrera 50, Puerto Chacabuco , XI Región , Chile  – visitado em novembro de 2013

  • Preços: os pacotes são para 3 dias no mínimo, a partir de US$ 1.160 por quarto duplo, com todas as refeições inclusas, excursão de catamarã à Laguna San Rafael, excursão ao Parque Aykén com assado patagônico incluso e traslados desde o aeroporto de Balmaceda (a 200 km dali). Passageiros com mais de 55 anos têm 10% de desconto. Veja mais em: http://www.loberiasdelsur.cl/pt/tarifas
  • Para crianças? Sim
  • Romântico? Sim
  • Natureza? Sim
  • Vistas panorâmicas? Sim, para montanhas e canais
  • Esporte? Pesca, passeios a cavalo, de bicicleta, rafting, trekking.
  • Conforto (de 1 a 10): 9
  • Gastronomia (de 1 a 10): 8
  • Spa (de 1 a 10): não tem
  • Hospitalidade (de 1 a 10): 9
  • Passeios (de 1 a 10): 10

Saiba mais: www.loberiasdelsur.cl

Com os Andes ao fundo

PARK HYATT – Mendoza (Argentina)

Situado na área mais nobre de Mendoza, o Park Hyatt Mendoza é ideal para quem curte um friozinho regado a bons vinhos e gastronomia de primeira

Este slideshow necessita de JavaScript.

Se existe um lugar que exala elegância e romantismo, ele é Mendoza, na Argentina, a cidade colada aos Andes, de onde vêm alguns dos mais sublimes vinhos produzidos na América do Sul. Nesse município distante mais de mil quilômetros da capital Buenos Aires fica o Park Hyatt Mendoza Hotel, Casino & Spa.

Tudo nele encanta, a começar por sua arquitetura, que mescla o moderno e o clássico da forma mais autêntica possível. O prédio de 8 andares foi construído por sobre o antigo Palace Hotel, um símbolo da prosperidade de Mendoza nos séculos 19 e 20. A obra foi realizada de modo a preservar a imponente fachada de estio colonial espanhol – uma ousadia de engenharia que garantiu fama internacional ao hotel.

Situado no centro de Mendoza, o Park Hyatt fica de frente para a agradável Plaza de La Independência e a alguns passos da Peatonal Sarmiento – o calçadão repleto de cafés e lojas elegantes de roupas, couro e vinhos.

Vinícolas e mais vinícolas – Sua localização também permite chegar em apenas 15 minutos aos principais vinhedos e vinícolas da região, onde há degustações e restaurantes típicos.

Com um pouquinho mais de tempo, dá para esquiaro centro de esportes de inverno Los Penitentes desponta na paisagem a apenas 90 minutos de carro. É possível ainda desbravar a encosta da Cordilheira dos Andes praticando rafting nos rios de degelo, explorar as ruínas históricas de Puente del Inca ou caminhar pelo sopé do Aconcágua – a mais alta montanha das Américas, com 6 962 metros. No próprio hotel dá para reservar esses passeios, com ajuda do concierge.

Quem preferir, porém, não precisa nem sair dele para se divertir. São 186 quartos ultramodernos (com wi-fi, TV HD e Stereo iHome iPod), além do Club Kaua Spa, que trouxe da Tailândia seus terapeutas, especializados em tratamentos da cultura asiática.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Cassino e spa – Da piscina climatizada do spa, pode-se ver ao longe a cordilheira dos Andes, assim como das janelas do The Vines Wine Bar e Vinoteca, onde você pode escolher entre mais de 100 vinhos premiados.

Todas as quintas-feiras há um menu especial de degustação de tapas e tintos, a 80 pesos argentinos (cerca de R$ 40) por pessoa. Sem falar no Bistro ‘M’ e no Grill ‘Q’, restaurantes de renome internacional onde todos os anos se realiza o festival Masters of Food & Wine.

No primeiro andar do hotel há uma pequena galeria de arte e também loja de roupas e suvenires.

Para agitar um pouquinho a viagem, anexo está o Regency Casino Mendoza, um cassino instalado em dois andares, com 18 mesas de jogo e 383 máquinas caça-níqueis, além de um bar onde se pode ver partidas de futebol, rúgbi e outros esportes. Tudo com um toque europeu, ou seja, cheio de elegância.

Park Hyatt Mendoza – hotel, casino & spa – Calle Chile 1124, Mendoza, Argentina – hospedagem em junho de 2012

  • Diárias: US$ 229 (casal)
  • Para crianças? Não
  • Romântico? Sim
  • Natureza? Não, o hotel está no centro da cidade, mas há vinícolas e os Andes a poucos quilômetros
  • Vistas panorâmicas? Sim
  • Esporte? Não, mas  a estação de esqui Los Penitentes está a apenas 90 minutos de carro
  • Conforto (de 1 a 10): 8
  • Gastronomia (de 1 a 10): 9
  • Spa (de 1 a 10): 6
  • Hospitalidade (de 1 a 10): 8
  • Passeios (de 1 a 10): O hotel não oferece, mas há várias operadoras ao lado

Saiba mais: www.mendoza.park.hyatt.com

Delícia escondida na Flórida

SHERATON SAND KEY – Clearwater (EUA)

Ele está a apenas uma hora e meia de Orlando, mas poucos brasileiros conhecem esse inconfundível hotel de praia dos EUA, localizado na pacata cidade de Clearwater

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma das grandes surpresas que tive em viagens foi a região de Tampa Bay – a pouco mais de uma hora de Orlando, na Flórida.  Impossível, mesmo para nós brasileiros, não se maravilhar com lugares como Fort de Soto Park, eleito por dois anos seguidos como a melhor praia dos Estados Unidos pelos usuários do website Tripavisor. São nada menos que 11 km de areias praticamente desertas em uma ilha onde as mãos do homem só tocaram para construir um fortaleza, em 1898, durante a Guerra Hispano-Americana.

Há muitas outras faixas de areia pra lá de sedutoras, sobretudo em Clearwater. Numa viagem para lá, não deixe de visitar a península de Caladesi – talvez a praia americana que mais se aproxima das existentes no Nordeste brasileiro.

Antigo alvo de canhões – Ou, ainda, Sandkey, uma península que, durante a Segunda Guerra Mundial era usada como alvo de treinamento de bombardeios aéreos, devido a seu isolamento. Hoje, ela revela resorts de primeira, de cadeias internacionais como Sheraton, Marriott e Hilton.

Só o Sheraton Sandkey Resort tem uma faixa de areia de mais de 200 metros de frente por 100 de profundidade – uma das maiores praias privadas dos Estados Unidos, onde a galera joga vôlei, surfa e pratica kite surfe e stand-up paddle. Sem contar sua agradável piscina, com bar e restaurante anexo, o Poolside Café.

O Sheraton Sandkey oferece 375 quartos equipados com o que há de mais moderno – wi-fi, tv de tela plana de 37 polegadas, com canais a cabo e menu de filmes pay-per-view e imagens diretamente da praia e da piscina, para você saber o que lhe espera logo ao acordar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Beisebol e golfinhos – Há no hotel lojinhas, restaurantes e um bar bacana, onde vi o final de um jogo decisivo da Major League Baseball (MLB), em que o time local, o Tampa Bay Rays, derrotou os poderosos New York Yankees. Aliás, eu vi a maior parte da partida no estádio do time, o Tropicana Field, na vizinha St. Petersburg.

E o hotel serve de base para explorar a vocação marinha de Clearwater, que se tornou centro das atenções em 2011 graças, sobretudo, a uma produção de Hollywood. Se você assistiu ao filme Winter, o Golfinho, deve ter se emocionado com a história do animal que perdeu a cauda num acidente e com a luta de um garoto e de um grupo de veterinários para salvá-lo. Pois trata-se de um fato real.

O golfinho, assim como o hospital de animais retratados no cinema estão ambos em Clearwater e podem ser visitados. O Marine Aquarium se tornou, em menos de um ano, a atração turística suprema da cidadezinha. E Winter, com sua cauda artificial, virou o “cidadão” mais conhecido dessa pequena comunidade de 110 mil pessoas.

Sheraton Sandkey Resort  – Gulf Boulevard 1.160, Clearwater, Flórida (a 150 km da Disney) – hospedagem em outubro de 2011

  • Diárias: US$ 201 (casal)
  • Para crianças? Sim – excelente
  • Romântico? Sim
  • Natureza? Sim, praias muito grandes e bonitas
  • Vistas panorâmicas? Sim, nota 8
  • Esporte? Sim – vôlei de praia, surfe, kite surfe, beisebol
  • Conforto (de 1 a 10): 7
  • Gastronomia (de 1 a 10): 6
  • Spa (de 1 a 10): 4
  • Hospitalidade (de 1 a 10): 8
  • Passeios (de 1 a 10): O hotel não oferece.

Saba mais: www.sheratonsandkey.com

Caprichos na terra dos cangurus

SOUTHERN OCEAN LODGE – Kangaroo Island (Australia)

Situado na bucólica Kangaroo Island, na Austrália, o Southern Ocean Lodge revela como um hotel de natureza pode ter excelência e sofisticação sem perder o charme

O nome já diz tudo: Kangaroo Island. Ou seja, a ilha dos cangurus, um dos melhores lugares do mundo para ver esses animais e outros como coalas, focas e leões marinhos. Considerada a “Galápagos da Austrália”, fica a 15 km de distância da costa, no sul do país, e tem uma área correspondente a três vezes o tamanho da cidade de São Paulo – quase inteiramente selvagem, ainda que esteja a apenas 20 minutos de voo da metrópole de Adelaide. É nesse cenário intocado que foi erguido em 2008 um dos mais luxuosos hotéis de natureza do planeta: o Southern Ocean Lodge.

E que fique claro: não se trata de um hotel boutique, muito menos de um resort. O Southern Ocean levou a sério a definição de “lodge”, um alojamento para exploradores, minimamente invasivo e, portanto, sem extensas piscinas, campos de golfe ou cassinos. Pelo contrário, a ideia é maximizar a natureza como atração principal. Por isso, o hotel “flutua” no alto de um penhasco, isolado em um trecho da costa com vistas inigualáveis do chamado Oceano Austral (a zona de confluência do Pacífico e do Índico).

Dois funcionários por hóspede – É um lugar intimista e sofisticado, com apenas 21 suítes. Todas elas estão debruçadas sobre o desfiladeiro e foram construídas com fachadas totalmente envidraçadas (sem paredes), o que permite uma visão plena da paisagem. Cada um dos aposentos tem 75 metros quadrados e oferece caprichos como chão aquecido, persianas automáticas, sala de estar com biblioteca, banheiros com vista panorâmica, wi fi, bar, produtos de beleza e higiene de marcas européias e terraço com espreguiçadeiras.

Sem falar no serviço absolutamente personalizado. Há, em média, dois funcionários por hóspede. Além de arrumarem os quartos, eles tomam providências como acender velas aromáticas de acordo com o gosto do cliente, preparar o aperitivo de sua preferência antes mesmo de o hóspede chegar ao saguão, na hora do almoço ou jantar. Ou, ainda, acionar CDs de música relaxante ao perceber que o visitante se dirige ao aposento para dormir.

 

 

Vista para o Oceano – Existem ainda suítes especiais, como a Osprey Pavilion, com hidromassagem, lareira, home theatre, laptops para uso do hóspede e 120 metros quadrados de área. Roupões, chinelos e toalhas são trocados duas vezes por dia. A vista, em qualquer ponto da suíte, é de 270º para a Baía de Hanson. Isto significa que o hóspede se sente como se estivesse sobrevoando a paisagem. É neste aposento que normalmente repousam Teri Hatcher (do seriado Desperate Housewives) e Clive Owen (dos premiados Sin City e Closer – Perto Demais).

Assim como as suítes, o restaurante oferece panorama espetacular de Hanson Bay. Mas é na gastronomia que se destaca, com a culinária australiana contemporânea, influenciada pelos temperos asiáticos e acompanhada de alguns dos melhores vinhos do mundo, produzidos ali perto, no Vale de Barossa, em Adelaide. As diárias, vale dizer, incluem cafés da manhã, almoços e jantares – estes últimos com nada menos que quatro pratos. E mais: o Southern Ocean Lodge costuma trazer chefs de fama internacional para temporadas especiais, o que adiciona ainda mais variedade à experiência.

Terapias aborígenes – Antes ou depois de ir ao restaurante, pode-se relaxar no imenso lobby – igualmente debruçado sobre o penhasco – saboreando mais de 100 tipos de bebidas. Ou, ainda, aproveitar a piscina aquecida de borda infinita, bem em frente ao restaurante. E por falar nela, é preciso ressaltar o spa muito peculiar, com produtos e terapias de rejuvenescimento influenciados pela cultura dos aborígines, os nativos que moravam na Austrália antes da colonização britânica.

Mas de nada adiantaria o conforto se o visitante não pudesse conhecer a ilha em si, O lodge oferece um menu de passeios que inclui desde piqueniques no meio de uma planície onde vivem centenas de cangurus até passeios em Seal Bay, um dos mais importantes santuários de leões marinhos do mundo, onde se pode ver os dóceis animais a dois ou três metros de distância. Uma experiência tão única quanto se poderia esperar na mais remota ilha da Austrália.

Southern Ocean Lodge – Kangaroo Island, Austrália – hospedagem em junho de 2012

  • Diárias: AUD 900 (casal)
  • Para crianças? Não
  • Romântico? Muito
  • Natureza? Sim, vistas panorâmicas, muitos animais.
  • Esporte? Pouco – trekking e pesca
  • Conforto (de 1 a 10): 9
  • Gastronomia (de 1 a 10): 8
  • Spa (de 1 a 10): 8
  • Hospitalidade (de 1 a 10): 9
  • Passeios (de 1 a 10): 8

Saba mais: www.southernoceanlodge.com.au

Desafio ao Comunismo

HILTON BUDAPESTE (Hungria)

Ele foi inaugurado em plena era comunista, mas com todos os luxos de um hotel norte-americano. Conheça o Hilton Budapest, no ponto mais belo da capital da Hungria

Este slideshow necessita de JavaScript.

Poucos hotéis no mundo oferecem vista panorâmica comparável à dele. E igualmente raros têm uma história tão peculiar. Em 1977, quando ninguém sonhava que o comunismo pudesse um dia acabar, os húngaros deram um passo simbólico rumo a uma nova era: permitiram a construção de uma unidade da cadeia norte-americana de hotéis Hilton no ponto mais nobre de sua capital – o milenar distrito do Castelo de Budapeste, nas colinas às margens do Rio Danúbio.

Esse verdadeiro ato de rebeldia, que enfureceu os líderes soviéticos em Moscou, foi um sinal do que ocorreria 15 anos depois no país do compositor Franz Liszt e do jogador de futebol Ferenc Puskas. Com o fim do modelo socialista no começo dos anos 1990, a Hungria se abriu para o mundo e sua capital virou um dos mais procurados destinos turísticos da Europa. E, assim, o Hilton Budapest se tornou um ícone da cidade.

Vista do Danúbio – Hospedei-me no Hilton Budapeste numa suíte standard, mas com uma vista panorâmica que me fez perder a hora dos compromissos: não dava pra parar de fotografar a paisagem.

O hotel ocupa um penhasco no coração medieval de Buda, voltando suas sacadas para o lado de Pest, na outra margem do rio, de cara para o gigantesco edifício do Parlamento Húngaro – o terceiro maior do gênero no mundo e uma das mais belas obras arquitetônicas de toda a Europa.

O engenhoso projeto do Hilton permitiu integrar suas dependências às paredes de um antigo mosteiro dominicano do século 13, mesclando o visual antigo e moderno. Durante a construção, vale dizer, arqueólogos foram chamados diversas vezes. Sob a terra da colina, descobriu-se a fachada de um colégio de jesuítas de 1688, que é hoje a entrada principal do hotel. No claustro restaurado, há relíquias de 2000 mil anos, já que a fronteira do Império Romano era esta margem do Rio Danúbio. Hoje, o antigo lugar de culto serve como um salão de restaurante a céu aberto.

Patrimônio da Unesco – Graças a tudo isso, o hotel é tombado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Ao seu lado despontam sinuosas ruas medievais lotadas de cafés e restaurantes acolhedores. Mas ninguém precisa sair para degustar os melhores pratos da culinária húngara. O restaurante Icon, no térreo do hotel, é moderno e elegante, oferecendo 16 janelas panorâmicas com vista para o Danúbio. Serve desde receitas locais, como o pato com tempero de lavanda, até outras de inspiração mediterrânea, a exemplo dos assados de carneiro. Recentemente, ficou tão famoso que suas mesas passaram a ser disputadas arduamente para o suntuoso brunch dos fins de semana.

O Lobby Bar também impressiona com sua saída para o pátio dominicano e com seus cafés e doces típicos. Não faltam o tradicional strudel e os marzipãs de todos os sabores, que podem ser acompanhados do peculiar vinho tokai, o néctar das uvas atacadas pelo fungo Botrytis cinerea, que, em vez de estragá-las, as torna mais doces e altamente aromáticas. Uma exclusividade dos vinhedos da Europa Central.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A cidade dos spas – Mas e os quartos? São 322 habitações pra lá de charmosas, com TV de tela plana, canais por satélite e outros de filmes fornecidos pelo próprio hotel, banheira ampla, controle individual de ar-condicionado, frigobar, roupões e chinelos, além de maquina de café expresso e chá, jornais internacionais entregues diariamente e, claro, internet de alta velocidade.

Há ainda um fitness club, solário, sauna e salões de massagem. Alguns hóspedes recém-chegados costumam questionar a falta de uma piscina. A explicação é simples. Budapeste é conhecida como “a cidade dos spas”, graças às dezenas de fontes geotermais que se espalham por seus domínios. Sobre essas fontes foram construídos vastos complexos de piscinas de águas sulfurosas a mais de 35 graus. As termas são verdadeiras obras de arte, que não apenas proporcionam relaxamento, mas também maravilham os olhos. E o Hilton Budapeste fica a menos de 15 minutos de quase todas elas.

Hilton Budapeste – Hess András tér 1-3, Budapest, Hungria, hospedagem em abril de 2012

  • Diárias: €102 (casal)
  • Para crianças? Não
  • Romântico? Sim
  • Natureza? Não
  • Vistas panorâmicas? Sim, nota 10
  • Esporte? Não
  • Conforto (de 1 a 10): 8
  • Gastronomia (de 1 a 10): 7
  • Spa (de 1 a 10): O hotel não tem, mas há vários pela cidade
  • Hospitalidade (de 1 a 10): 9
  • Passeios (de 1 a 10): O hotel não oferece, mas está em área histórica

Saba mais: www.budapest.hilton.com

 

THE CRANE

Nesta seção estão apenas hotéis onde me hospedei, com minha opinião sincera.
Não se trata de publicidade ou “matéria paga”. Pode acreditar no que lê aqui!

¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯

THE CRANE
O mais antigo do Caribe

Inaugurado há 126 anos, o The Crane, em Barbados, é o mais antigo resort do Caribe e também um dos mais belos e românticos de todo o planeta

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: The Crane – divulgação

Não faltam praias bonitas em Barbados, a ex-colônia britânica situada no ponto mais oriental do Caribe. Mas, na minha opinião, é no sudeste da ilha que se espalham as faixas de areia mais agradáveis, banhadas por águas claras e pouco frequentadas.

Durante minha visita, em 2012, a que mais me impressionou foi Crane Beach, uma das dez praias mais bonitas do planeta segundo os sites Trip Advisor e Concierge.com. Nela está o The Crane Residential Resort, o mais antigo resort de todo o Caribe, inaugurado em 1887.

Nesses 126 anos, o resort cresceu e ganhou fama mundo afora após hospedar chefes de estado e celebridades ao longo de todo o século 20. Atualmente, parte de seus apartamentos pertence a ricaços que moram ali ou transformaram o lugar em residência de verão.

O The Crane Fica na encosta de uma falésia, com a areia cerca de 30 metros abaixo, acessível somente por um elevador panorâmico. Graças a isso, possui um dos mais encantadores restaurantes panorâmicos do mundo, o L’Azure – considerado o melhor de toda a ilha pelo guia americano Zagat.

Mesmo que você não se hospede no resort, eu recomendo – e muito – jantar ali, principalmente se você viaja com namorada ou esposa. Lugar pra lá de româmntico no por do sol.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Vila elegante – O The Crane, por sinal, inclui nas suas dependências uma pequena vila construída à moda colonial, totalmente ocupada por lojas, bares e restaurantes – abertos a não hospedes também.

Dá para comprar desde rum até esmeraldas colombianas – tudo sem impostos. E as agências de turismo receptivo baseadas no resort levam a vários passeios, incluindo Bottom Bay, outra praia paradisíaca, a seis quilômetros do resort.

São 7 bares e restaurantes, 5 piscinas gigantes, quadras de tênis e áreas verdes a perder de vista.

Do resort, partem excursões de pesca, para passeios de jet ski, kite surfe, windsurf e mergulho. A 15 minutos fica também uma das joias da ilha, o Barbados Golf Club, um dos mais bonitos campos de golfe do mundo, que sediou o World Cup Golf Championship em 2006.

Por tudo isso, o The Crane merece uma visita. Assim como Barbados – uma das mais deliciosas ilhas tropicais do mundo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

The Crane Resort – Crane, St. Philip, Barabados – hospedagem em setembro de 2012

  • Diárias: a partir de US$ 192 (casal)
  • Para crianças? Sim
  • Romântico? Sim, muito
  • Natureza? Sim, numa das mais belas e intocadas praias de Barbados
  • Vistas panorâmicas? Sim, espetaculares, do alto de uma falésia
  • Esporte? Quadras de tênis e operadoras de mergulho
  • Conforto (de 1 a 10): 9
  • Gastronomia (de 1 a 10): 9
  • Spa (de 1 a 10): 8
  • Hospitalidade (de 1 a 10): 9
  • Passeios (de 1 a 10): 8

Saiba mais: http://www.thecrane.com