Cleveland (EUA) – a terra do rock e dos esportes!

Está na hora de os brasileiros descobrirem a cidade do estado de Ohio que abriga o incrível Hall da Fama do Rock, além de museus sensacionais e atrações esportivas

Se algum dia você balançou o corpo ao som de Elvis Presley, Led Zeppelin, Guns N’ Roses e companhia, pode agradecer a Cleveland, a mais proeminente cidade do estado de Ohio. Foi ali que, em 1951, surgiu o termo “rock and roll”, criado pelo radialista Alan Freed para designar o ritmo animado que começava a tomar conta da região, do país e do mundo. Em Cleveland também aconteceu o primeiro festival de rock da História, em 21 de março de 1952.

Eu e o Parmesolino, no Hall da Fama do Rock

Não admira que tenha sido escolhida para sediar o maior museu do planeta dedicado ao estilo musical: o Rock & Roll Hall of Fame. Não se deixe enganar pela palavra “museu”. É, na verdade, um complexo de celebração à música, com muita interatividade e, claro, luz e som.

Só a arquitetura do lugar já impressiona: uma gigantesca pirâmide de vidro, que avança para dentro do Lago Erie. São sete andares com galerias repletas de artigos que pertenceram a músicos famosos: do primeiro violão de Jimi Hendrix à bateria que Ringo Starr usou na última apresentação dos Beatles. Dos figurinos de Janis Joplin aos carros usados nos cenários da turnê Zoo TV, da banda irlandesa U2.

 

Aliás, apesar do nome, o lugar contempla muitos outros estilos, como o blues, o funk (americano, claro!), o rap, o pop, o punk e até a música eletrônica. Há computadores nos quais você descobre todos os músicos que influenciaram seu cantor, cantora ou banda preferidos, além de auditórios com projeção de shows e documentários.

Dependendo da época do ano, dá para presenciar as cerimônias de indução ao Hall da Fama, em que astros recebem o status de “imortais” do rock. Para este ano, os laureados serão Bon Jovi, The Cars, Dire Straits, The Moody Blues e a cantora Nina Simone.

 

MUITO ALÉM DO ROCK – Cleveland, porém, é mais que o Hall da Fama do Rock. Logo ao seu lado, no agradável calçadão às margens do Lago Erie, ergue-se o Great Lakes Science Center. Mais uma vez, a palavra “museu” engana. O lugar abriga um cinema IMAX de proporções descomunais. Há também um navio histórico de quase duzentos metros de comprimento – o vapor William Mather – atracado ali e aberto à visitação. Além de um centro de visitação da NASA.

Esse último é muito especial. Que tal conhecer a nave Apollo que levou os astronautas americanos à Estação Espacial Skylab, em 1973? Pois ela está ali. E tocar numa pedra trazida da Lua? Também dá. Ou, ainda, comandar um simulador de missão espacial, sujeitando-se a todas as decisões que um diretor de lançamento de foguetes precisa tomar na realidade? Sim, esse simulador está lá, disponível aos visitantes do NASA Glenn Visitor Center.

Quem prefere ficar mais perto da superfície da terra também tem vez na cidade, graças ao Crawford Auto-Aviation Museum. Trata-se de uma coleção de 170 automóveis de todas as épocas e lugares do mundo, e ainda uma dezena de aviões igualmente raros e antigos.

Mesmo se você não for muito ligado em carros ou aeronaves, acabará se maravilhando com o impecável estado de conservação de exemplares como pioneiro Ford Modelo T, de 1908, ou a futurista Lotus Eleven, de 1956, que revolucionou o mundo das competições automobilísticas. E faz todo sentido haver uma exposição como essa: Cleveland foi a pioneira na fabricação de automóveis a gasolina nos Estados Unidos, com seu primeiro modelo fabricado em 1891 pelo engenheiro John Lambert.

O Crawford Auto-Aviation Museum fica em Glenville, ao lado dos Cultural Gardens – um conjunto de 31 jardins temáticos, homenageando países que têm seus povos representados entre os imigrantes da região (infelizmente, o Brasil não é um deles…). São mais de quatro quilômetros de comprimento por 500 metros de largura, especialmente coloridos e formosos na primavera.

UMA INCRÍVEL VISTA PANORÂMICA – Falando em belos cenários, nenhuma passagem por Cleveland é completa sem uma subida ao mirante do Terminal Tower, o arranha-céu que domina a paisagem no centro da metrópole. Quando foi inaugurado, em 1930, era o segundo prédio mais alto do mundo, com seus 235 metros do térreo ao topo. Com o passar do tempo, perdeu o título, mas não o glamour. Do “observation deck”, pode-se avistar até 48 quilômetros de distância.

Seu interior, no mais puro estilo art déco, esbanja charme – tanto que já foi usado em filmagens diversos clássicos do cinema. No térreo, ele se interconecta com outros edifícios menores, formando o Tower City Center, um complexo de lojas, restaurantes, bares e escritórios tombado pelo patrimônio histórico dos Estados Unidos. Em uma das suntuosas alas instalou-se o Jack Cleveland Cassino – onde a jogatina rola solta, com muita classe…

Tão festivo e colorido quanto o cassino é o pitoresco West Side Market – o mais antigo mercado público do estado de Ohio, erguido em 1840 e declarado patrimônio histórico do país. O sóbrio estilo neoclássico da fachada contrasta com a alegre policromia do interior, onde mais de cem bancas vendem desde flores até bolos decorados. Não faltam por ali descendentes de imigrantes do mundo todo vendendo embutidos, peixes, temperos, frutas, pães, doces confeitados e os mais variados acepipes.

GASTRONOMIA BACANA – Deu fome? Saiba que é inadmissível ir a Cleveland e não provar o polish boy (salsichão polonês com batata ralada, molho de carne e salada de repolho – às vezes servido no pão) ou o beef cheek pierogi (empanada de bochecha de boi) – dois dos mais típicos pratos da região, ou melhor, herdados dos imigrantes do Leste Europeu.

O restaurante ideal para experimentar essas guloseimas é o Mabel’s BBQ, do renomado chef televisivo Michael Symon (apresentador do programa Iron Chef America). Apesar do pedigree, não é caro nem cheio de ostentação. Na verdade, é “comfort food” com alto padrão.

 

Se os adeptos da gastronomia desfrutam de um agradável passeio no tradicional West Side Market, os fãs de esporte se deslumbram nas três modernas arenas da cidade: a Quicken Loans Arena, onde jogam os Cavaliers, da NBA, o Progressive Field, campo de beisebol em que atuam os Indians, equipe do brasileiro Yan Gomes, e o First Energy Stadium, um dos mais bonitos estádios da NFL, onde joga o time dos Browns (finalmente eles venceram!).

Ah, a apenas uma hora de carro, fica o Hall da Fama do Futebol Americano, na cidadezinha de Canton. Veja a matéria que fiz por lá:

E quer saber mais? Essa região terá, em breve, uma “Cidade da NFL”. Clique aqui para saber mais.

NÃO É SÓ PARA ADULTOS! – Para a criançada, a metrópole reserva duas atrações muito peculiares. A primeira delas é o Greater Cleveland Aquarium, um aquário moderno e completo – ainda que o oceano mais próximo esteja a mais de 800 quilômetros dali. Ele tem um túnel de vidro que cruza o tanque de tubarões e diversos nichos com desafios para a gurizada.

Destaque para a piscina repleta de arraias, que podem ser tocadas, e para o recinto dos jabutis africanos gigantes (sim, há animais terrestres também!), que medem até um metro de comprimento e podem ser alimentados pelos visitantes com cenouras fornecidas pelo próprio aquário.

A outra atração que encanta especialmente as crianças é a Christmas Story House. Apesar do nome, essa casinha vitoriana do Século XIX fica aberta o ano todo, e não somente na época do Natal. Ela ganhou fama ao ser usada nas filmagens do clássico Uma História de Natal (“A Christmas Story”), de 1983 – produção de grande sucesso nos cinemas na época.

Hoje, o lugar virou uma espécie de museu dedicado ao Natal, com loja de suvenires e doces ocupando as construções anexas. Recebe visitantes o ano todo, mas, em dezembro, quando fica aberta até tarde da noite, formam-se filas gigantescas nas calçadas cheias de neve para conhecê-la e fotografá-la.

Seu ar de conto de fadas embala de forma perfeita o final de uma visita à cidade do rock.


Saiba mais:  thisiscleveland.com

QUANDO IR – O período mais agradável é a primavera, entre abril e junho, quando a vegetação dos inúmeros parques fica florida e diversos festivais culturais tomam conta da cidade. O outono, entre setembro e dezembro, também é agradável. Neva e faz muito frio de dezembro a fevereiro. 

DICA DE TRANSPORTE – É bastante fácil dirigir por lá, ainda que nas áreas centrais seja difícil achar vagas gratuitas para estacionar. A maioria das atrações fica perto do centro e dá para caminhar entre elas. Quem preferir o transporte público tem boas opções: há um sistema de ônibus, bondes e trens. O passe de uma semana custa US$ 25 – consulte riderta.com.

DICA DE COMIDA – Mabel’s BBQ Restaurante do renomado chef televisivo Michael Symon (apresentador do programa Iron Chef America), serve comfort food a preços bem razoáveis. Essencial provar o polish boy (sanduíche de salsichão polonês com batata ralada, molho de carne e salada de repolho.
2050 E 4th St, Cleveland, OH 44115, mabelsbbq.com.

 DICA DE HOSPEDAGEM – The Kimpton Schofield Charmoso hotel da rede Kimpton, bem no centro da cidade. Instalado num prédio histórico, tem quartos amplos e com uma bela vista para a cidade. O empréstimo de violões e bikes é um diferencial, que atrai público mais jovem. Diárias a partir de US$ 169. Endereço: 2000 E 9th St, Cleveland, OH 44115, theschofieldhotel.com

Veja a matéria que fiz só sobre esse hotel.

Parmesolino no marco de fundação da NFL, em Canton, a 50 minutos de carro de Cleveland


ENDEREÇOS, PREÇOS E LINKS

Rock & Roll Hall of Fame 1100 E 9th St, Cleveland, OH 44114, rockhall.com, US$ 26

Great Lakes Science Center 601 Erieside Ave, Cleveland, OH 44114, greatscience.com, US$ 17 (inclui o centro de visitação da NASA)

Auto-Aviation Museum 10825 East Blvd, Cleveland, OH 44106, US$ 10

Terminal Tower – Mirante 50 Public Square Cleveland, OH 44113, thisiscleveland.com, US$ (venda apenas pelo site eventbrite.com)

Jack Cleveland Cassino 100 Public Square, Cleveland, OH 44113, jackentertainment.com/Cleveland, Entrada gratuita

Greater Cleveland Aquarium 2000 Sycamore St, Cleveland, OH 44113, greaterclevelandaquarium.com, US$ 20

Christmas Story House 3159 W 11th St, Cleveland, OH 44109, achristmasstoryhouse.com, US$ 11


Adaptação da reportagem que fiz para a Revista Viajar pelo Mundo
Fotos: Paulo Mancha / divulgação – exceto quando especificado

Uma consideração sobre “Cleveland (EUA) – a terra do rock e dos esportes!”

  1. Assistindo Steelers x Bay Buccaneers e lendo mais que um informativo. Um sonho de viagem e informação. Vlw Mancha!

Faça seu comentário aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s