Esqui no Colorado: um grande barato!

Cada vez mais brasileiros viajam no fim do ano para as montanhas nevadas do estado que fica no coração dos EUA. Veja por quê!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Adaptação da reportagem que fiz para a revista Viajar pelo Mundo – Fotos: AASKICLUB 

A procura de brasileiros pelas montanhas nevadas do Colorado aumentou tanto que, no ano passado, a American Airlines chegou a ter 17 voos por semana partindo de São Paulo e Rio para o aeroporto de Eagle (o mais próximo de Vail) ou para Denver, a capital do estado, com escalas em Miami ou Dallas.

A companhia aérea, por sinal, criou um site em português especialmente para vender pacotes para 15 estações de esqui americanas, em parceria com operadoras de turismo daqui.

As promoções incluem passagens aéreas, acomodação, traslados, seguros, tíquete para os meios de elevação na montanha e até aluguel de carro. O pacote mais em conta sai a US$ 3.200, para uma semana de diversão.

Particularmente, eu gosto das estações de esqui do Colorado. Até porque ali dá para visitar Denver e conhecer as instalações e lojas dos times esportivos de lá: Denver Broncos (futebol americano), Colorado Rockies (beisebol), Colorado Avalanche (hóquei no gelo) e Denver Nuggets (basquete.

E o que o brasileiro encontra quando viaja ao Colorado? São sete estações ao todo. Mas quatro estão na mira de nossos viajantes, pela facilidade de acesso.

São elas: Vail Mountain, Beaver Creek, Breckenridge e Keystone, todas a menos de duas horas de carro de Denver. Apesar da proximidade, cada uma tem uma vocação diferente, um visual próprio e uma história peculiar.

Keystone: a mais popular

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ela fica a apenas 120 quilômetros de Denver, a capital do Colorado. Por isso, Keystone é a mais popular das estações de esqui da região, onde milhares de habitantes da metrópole fazem seu “bate-e-volta” nos fins de semana. Para agradar tanta gente, lá foi implantado o “dia mais longo do Colorado” – ou seja, as pistas ficam abertas até mesmo depois do anoitecer, graças a um poderoso sistema de iluminação.

Sobram pechinchas entre suas opções de hospedagem, sobretudo aquelas um pouco mais afastadas do centro. O confortável Silver Inn, a 8 quilômetros dali, tem diárias a partir de US$ 65. Enquanto o simpático bed & breakfast Western Skies, já quase ao lado do complexo, cobra US$ 75 por noite nos quartos mais simples.

Mas e o esqui, como é lá? Keystone tem 135 pistas, sendo 26 para iniciantes, 43 para quem já tem alguma experiência e 66 para os “craques”. Também é famosa pelo A51 Terrain Park – um dos melhores lugares para prática de snowboard dos Estados Unidos. Quem não quiser se aventurar montanha abaixo pode brincar de tubing no Adventure Point. Trata-se de uma boia que desliza pela neve. Ou, ainda, andar de trenó e praticar snowshoeing (caminhada na neve).

Prefere fazer compras? A 10 minutos de carro, surge o Outlets at Silverthorne, com 62 lojas e várias opções de lanchonetes, restaurantes e afins. Por falar em comida, anualmente acontece ali o Festival de Culinária de Keystone, onde serão servidos vinhos do mundo todo e pratos preparados com ingredientes orgânicos, por chefs convidados especialmente para a ocasião.

 

Vail Mountain: a estação gigante

Este slideshow necessita de JavaScript.

No ano em que completa seu 51º aniversário, Vail esbanja variedade de pistas e boa estrutura turística. A vila de 5 mil habitantes conta com hotéis de alto padrão como o Four Seasons (veja post que fiz sobre esse hotel), Ritz-Carlton Residences e Solaris, com sua filial do restaurante Matsuhisa, do notório chef Nobu Matsuhisa.

Tem também spas, bares, baladas, lojas e outras surpresas. Imperdível, por exemplo, aproveitar a pista de patinação no gelo instalada bem no meio da vila, rodeada pelo comércio charmoso e de cara para a montanha. Ou, ainda, participar de excursões em trenós puxados por cães, pilotar snowmobiles e almoçar nas alturas, em restaurantes como o Game Creek e o The 10th, aonde só se chega pelos teleféricos.

Quem preferir pode simplesmente passear pelo bairro de Lionhsead – um verdadeiro shopping center a céu aberto. São 35 lojas de roupas, 28 de joias, bijuterias e acessórios femininos, 15 de artigos esportivos, sem contar quiosques que vendem brinquedos, suvenires, vinhos e bebidas.

Tem mais: a estação inaugurou ano passado o mais veloz meio de transporte em montanha do mundo, capaz de alcançar o cume, a 3.500 metros, em sete minutos. É uma gôndola fechada, para 10 pessoas, com mordomias como poltronas aquecidas e internet wi-fi. Ela se soma a outros 31 chairlifts e similares, o que faz de Vail a estação recordista em meios de elevação nos Estados Unidos.

Beaver Creek: pequena e chique

Este slideshow necessita de JavaScript.

A 20 minutos de carro de Vail fica Beaver Creek, a área de esqui mais exclusiva dos país. Das quatro estações dessa região, é aquela que tem “cara de Europa”, destino certo de celebridades, que se dividem entre suas 148 pistas (28 fáceis, 63 intermediárias e 57 para feras do esporte). Suas atrações fora da montanha encantam. Há um rinque de patinação, spas e restaurantes elegantes, onde há festivais gastronômicos e degustações de vinhos.

Um dos mais agradáveis é o Beano’s Cabin, onde só se chega a bordo de um trator de neve (com cabine fechada e aquecida, claro). Não bastasse a vista panorâmica, ele tem música ao vivo e cozinha refi nada, comandada por Bill Greenwood, um renomado chef local.

Ficar em Beaver Creek, vale dizer, significa sair esquiando do quarto do hotel: 75% das acomodações têm acesso direto à neve, sem a necessidade de pegar elevador ou ir até vestiários e afi ns. Além disso, ali está o The Osprey, recém-eleito melhor resort de inverno dos Estados Unidos, numa votação pública promovida pela revista americana Travel + Leisure.

Famoso por ser o hotel mais próximo a um teleférico da América do Norte, ele conta com 45 acomodações e foi construído num ponto privilegiado, que garante aos hóspedes atividades como cross-country e passeios de trenó bem ao lado.

Breckenridge: repleta de história

Este slideshow necessita de JavaScript.

Estações de esqui, em geral, são “criadas” em algum recanto remoto – desocupado e bom para a prática do esporte. Breckenridge foge à regra. Muito antes de o primeiro esquiador chegar, o lugar já tinha vida: era um típico vilarejo de mineradores do oeste americano, daqueles que se veem nos filmes.

Com mais de 70 prédios tombados, é o maior distrito histórico do Colorado. Ostenta ruazinhas repletas de casas antigas, tabernas que remontam ao começo do século passado e lojas de suvenires. Por sinal, as próprias minas podem ser visitadas – hoje em dia já não funcionam e são mantidas exclusivamente em função do turismo.

Breckenridge oferece alternativas de hospedagem mais simples e baratas. Há opções confortáveis como o Riverbend Lodge ou o Wedgewood Lodge com diárias a partir de US$ 100. Também existem várias escolas de esqui e snowboard por lá. Uma novidade que vai agradar as crianças é o Peak 8, um parque de diversões recém-inaugurado, onde fica a montanha russa The Gold Runner, além de rinques de patinação no gelo e do tobogã Alpine Super Rider, com 800 metros de percurso. Tudo no meio da neve, o que dá um charme todo especial ao lugar.

Não bastasse isso, Breckenridge tem ainda o maior teleférico quádruplo de alta velocidade no mundo, o Imperial Super-Chair, que leva a uma altitude de 3.914 metros. Ele é, por si só, uma atração que convida mesmo quem não esquia.

________________________________________________________________________________________ 

DICAS DO PAULO

Fuso Horário: O Colorado tem três horas a menos em relação ao horário de Brasília.

Clima: Entre novembro e fevereiro, as temperaturas ficam em torno de zero grau, mas podem cair a 10 negativos com frequência.

Saiba mais: http://www.americanskiclub.com.br/

________________________________________________________________________________________

VAIL

Sage Outdoor Adventures (641 W. Lionshead Circle, sageoutdooradventures.com) A empresa leva para passeios de snowmobile e quadriciclo na neve. Eles custam a partir de US$ 140 por pessoa, em dia e hora a combinar.

The 10th Restaurant (Montanha Vail, acesso pelo teleférico Vista Banh, vail.com) Situado no alto da montanha, tem vista panorâmica privilegiada. Diariamente, das 11h às 15h.

Lionhsead Village (bairro de Lionshead) Um verdadeiro shopping center a céu aberto com mais de 80 lojas diversas.

________________________________________________________________________________________

BEAVER CREEK

Allegria Spa (100 E. Thomas Place, allegriaspa.com) Spa onde muitos relaxam após um dia esquiando. Terapias a partir de US$ 85. Diariamente, das 9h às 21h (é necessário agendar).

Beano’s Cabin (acesso por snowcat, que deve ser chamado pelo tel.: 970/ 754-3463, beanoscabinbeavercreek.com) Restaurante com vista panorâmica e cozinha gourmet. Diariamente, das 17h às 23h.

________________________________________________________________________________________

KEYSTONE

Adventure Point (base da montanha Keystone, tel.: 800-354-4386, keystoneresort.com) Oferece desde passeios de snowbike (bicileta com esquis) até o tubing. A partir de US$ 33 por pessoa.

Der Fondue Chessel (base da montanha Keystone, keystoneresort.com) Restaurante de culinária suíça, serve fondues e raclettes. Diariamente, das 17h30 às 20h30.

Outlets at Silverthorne (246-V Rainbow Drive, outletsatsilverthorne.com) Outlet com dezenas de lojas de marcas famosas, que vendem ponta de estoque. Diariamente, das 10h às 20h.

________________________________________________________________________________________

BRECKENRIDGE

Mina Country Boy (0542 French Gulch Road, countryboymine.com) Antiga mina de ouro, transformada em um museu do Velho Oeste. Aberta de segunda a sexta, com tours guiados às 11h, 12h e 13h. Entrada: US$ 23 para adultos e US$ 16 para crianças.

Ember (106 East Adams Avenue,emberbreck.com) O chef Scott Boshaw cria misturas inusitadas, como porco com molho de vodca. Diariamente, das 17h às 21h para o jantar. O bar permanece aberto até o último cliente.

Peak 8 Fun Park (Peak 8, breckenridge.com/peak-8-fun-park aspx) Tem montanha russa e tobogãs em meio à neve. De terça a domingo, das 10h às 16h. Entrada: US$ 78 para adultos e US$ 42 para crianças de até 14 anos.

3 opiniões sobre “Esqui no Colorado: um grande barato!”

  1. Qual é a melhor opção no Colorado, para quem não esquia, mas pode aprender um pouco sem se aventurar muito?
    Estaremos tambem com crianças de 9 ,8 , 6 e 2 anos.
    Nunca esquiaram ou viram neve.
    Queremos um lugar que se possa aproveitar mesmo sem esquiar.
    Não precisa ser necessariamente o mais barato, mas queremos o melhor
    Obrigado
    Spurgeon Barros
    Resende RJ

  2. Olá, Spurgeon!
    Na minha opinião, Beaver Creek ou Vail. Aliás, elas ficam a meia hora de carro uma da outra. Vail é maior, com mais comércio, restaurantes etc.. Beaver Creek é pequena, mas tem melhor estrutura para crianças que querem aprender a esquiar.
    E não deixe de visitar Breckenridge (50 min de carro de Vail), que é um lugar histórico.
    Abraços!

Faça seu comentário aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s