Alugar carro nos EUA

É rápido, prático e te garante uma liberdade pra lá de bem vinda na terra do Tio Sam!

Quem acompanha este blog ou as reportagens que escrevo para a revista Viajar pelo Mundo já deve ter percebido minha predileção pelas chamadas “road trips”.

Na minha opinião, não existe nenhum tipo de viagem tão libertadora e prazerosa quanto aquela em que você tem o mapa inteiro pra chamar de seu. Ou seja, aquela viagem em que você vai para onde quiser, quando bem entender, parando pelo caminho onde lhe der na cabeça.

E foi por isso que decidi fazer uma road trip pelo segundo maior estado dos EUA, o Texas. Foram 1300 km em 7 dias, passando por Austin, Dallas e Houston. Com direito a conhecer muita coisa bacana no trajeto entre essas três metrópoles.

Estrada vicinal em la Grange
Sabe estrada ruim ou perigosa? Isso não existe no Texas!

Sem burocracia Assim que saí do desembarque no aeroporto de Houston, havia uma van que me levou à locadora (5 minutos de distância).

Lá, na ‎Hertz Rent a Car, após mostrar a documentação e preencher alguns papéis, em menos de 10 minutos eu estava no carro, um Toyota Corolla automático.

Quanto custa? O valor varia de acordo com o modelo escolhido, as modalidades de seguro, os equipamentos extras desejados (GPS, cadeirinha de bebê, rádio por satélite etc..) e – importante – com o período de tempo da locação. Quanto mais tempo, menor a diária.

De forma geral, dá pra dizer que uma semana de aluguel de um carro compacto sai por US$ 290. Mas não se guie muito por esse valor, pois a Hertz sempre tem promoções e às vezes você consegue verdadeiras pechinchas!

Corolla da Hertz
Painel do Corolla, com o GPS da locadora


Com ou sem GPS?
Uma vez nas highways texanas, notei uma coisa muito oportuna: a locadora usa um sistema em que você não precisa nem diminuir onde tem pedágio – pode passar na velocidade normal. A cobrança vem depois, no cartão de crédito (cerca de US$ 30 no total dos sete dias, por 1300 km de estradas).

Usei o GPS da Hertz, que adiciona US$ 17 por dia à conta final. “Mas, Mancha, não valeria mais a pena utilizar o navegador do seu próprio smartphone?” Depende. Às vezes, sim, às vezes, não.

A vantagem do GPS da locadora é que você não precisa comprar um simcard nem torrar uma fortuna em roaming internacional.

Mas quem tem celular da Claro, por exemplo, pode optar pelo “Plano Americas”, que adiciona pouco mais de R$ 10 por mês na conta e permite usar o celular nas Américas como se você estivesse no Brasil, sem complicação nenhuma. Aí vale muito a pena o smartphone.

Comprar um simcard é uma alternativa que vale a pena se ele for barato, garantir uma boa dose de dados e, sobretudo, se você não se importa de ficar abrindo o celular para trocar o cartão.

Existe a possibilidade de usar o navegador do smartphone de graça em modo off-line (sem acesso à internet), baixando os mapas previamente. Mas isso cria muitas limitações, porque, sem dados, o celular mostra apenas mapa e endereços (nome de rua + número), deixando de fora coisas como hotéis, restaurantes, atrações turísticas, lojas, shoppings, hospitais, postos de combustíveis…


Gasolina barata, estradas excelentes
Por falar em postos de combustíveis, eles estão por toda parte nas rodovias e em quase nenhum lugar nas regiões centrais das cidades – fique atento!

A gasolina é barata nos Estados Unidos. Gastei cerca de US$ 20 por tanque – praticamente a metade do que despenderia no Brasil. Se você bobear e tiver uma pane seca, a Hertz tem um serviço para acudir. Aliás, esse socorro acontece também em caso de perda da chave, problemas mecânicos e afins.

As estradas do Texas são excelentes. Há, basicamente, três tipos: as expressas (feitas para você chegar logo onde quer, com 3 ou 4 pistas e velocidade limite que chega a 130 km/h), as vicinais (menores, mas igualmente boas e rápidas – geralmente com limite de 105 km/h) e as cênicas (com muitas curvas, baixo limite de velocidade, mas com paisagens lindas).

O grande lance é alternar entre todas elas, sem compromisso, indo onde der na cabeça! Sempre você acha um panorama inspirador ou uma cidadezinha com alguma atração bacana.

Eu me sentia como num road movie. Dá uma olhada nas fotos (clique para ampliar) e sinta por si próprio o clima da viagem.

Eu tenho certeza de que você logo começará a planejar a sua jornada automobilística pelas estradas ianques!

20160722_094401

%d blogueiros gostam disto: