Cinco lugares que decepcionaram

Continuando a série “cinco dicas”, um post diferente… Aqueles lugares dos quais eu esperava mais. Lá vem polêmica!

Viajar não é ciência exata. Há muita subjetividade envolvida na escolha de um destino turístico e na avaliação dele. Por isso, já alerto: este post não tem como objetivo desestimular sua visita a um ou outro local. Talvez você vá até lá e me prove que estou errado.

Todos os lugares citados abaixo possuem pelo menos uma excelente atração – caso contrário, eu nem os teria visitado! Assim, acho que as críticas feitas a seguir podem servir para os próprios gestores do turismo usarem na sua autoanálise e eliminarem as coisas ruins, deixando apenas as boas.

Como sempre, eu reforço: esta série de “cinco dicas” é algo de foro pessoal, e de forma alguma uma “verdade absoluta”. Fique à vontade para discordar!


1. Cairo

Egito

Museu Egípcio

É fantástico visitar as atrações mais famosas e tradicionais do Egito. Mas pouca gente sabe que a maioria fica bem longe da capital, o Cairo. De muito relevante ali na metrópole, somente as pirâmides de Gizé e o Museu Egípcio.

Essas duas atrações, obviamente, são imprescindíveis na sua viagem – e justamente por isso elas podem tornar sua jornada uma pouco sofrida. Porque o Cairo, como cidade, é um caos.

Uma urbe confusa, com muito lixo nas ruas, transportes públicos impossíveis de usar para estrangeiros e cenários pouquíssimo agradáveis.

Lixo e entulho invadem acostamentos e calçadas das avenidas

Eu me senti quase o tempo todo como se estivesse nas paradas mais barras-pesadas das periferias de metrópoles brasileiras. Foi um alívio sair dali para lugares bem mais amigáveis, como Sharm El Sheikh ou Assuã.


2. Santos Dumont

Minas Gerais

Nosso mascote Parmesolino gostou do Museu Cabangu

Existe um motivo excelente para você ir a esse município da Zona da Mata de Minas Gerais: a Fazenda-Museu Cabangu, onde nasceu o Pai da Aviação, Alberto Santos-Dumont.

O museu dedicado a ele é perfeito para você passar o dia se maravilhando com a natureza e com as invenções preservadas do nosso gênio da aviação – confira no vídeo!

O problema é a cidade em si… Infelizmente, o município de Santos Dumont não se preparou para o turismo. Sinalização confusa, má conservação, rede hoteleira com poucas boas opções e o mesmo para a gastronomia.

Conheça o fantástico museu de Santos Dumont:

Definitivamente, a cidade precisa melhorar muito para ser atraente e fazer jus a um museu tão legal.

Minha dica para quem quiser visitar o Museu de Cabangu é gastar umas horinhas a mais na estrada e se hospedar nas belíssimas São João Del-Rei e Tiradentes – essas, sim, preparadas para receber viajantes.


3. Detroit

EUA

O centro de Detroit não é a coisa mais linda do mundo…

Como todas a outras cidades citadas neste post, ela pode ser visitada e talvez até lhe agrade. Mas, na minha lista de metrópoles americanas, Detroit não figura nem entre as vinte melhores.

A “capital do carro”, assim conhecida por ter sediado por décadas a indústria automobilística americana, passou por um período de deterioração nos anos 1980, 90 e 2000. Boa parte das áreas centrais ficaram abandonadas.

Cassino MGM Detroit

Algumas já foram restauradas e têm restaurantes, bares e opções culturais bacanas. Mas não é o suficiente para competir com Nova York, Chicago ou mesmo cidades menores (e muito mais agradáveis) como Pittsburgh ou Cleveland.

Nem o gigantesco Cassino MGM foi capaz de trazer algum glamour à terra dos Lions, Pistons, Wings e Tigers.


4. Montevidéu

Uruguai

Sim, Montevidéu é bonita. “Seu defeito é estar ao lado de Buenos Aires, que é bem melhor…”, diz nosso mascote, o Parmesolino

Vale a pena ir ao Uruguai? Com certeza! São três os principais destinos turísticos no nosso vizinho do Sul: Punta del Este, com suas praias e cassinos glamorosos, Colonia do Sacramento, com seu casario colonial preservado e seus hotéis de charme, e Montevidéu, a capital.

Essa última é uma cidade intrigante. Ela tem alguns pontos muito belos, como a região de Carrasco, com suas praias e avenidas largas, cheias de hotéis e restaurantes chiques. Só que isso fica longe de todo o resto. E o resto é bacana, pero no mucho

Na verdade, o grande problema dessa cidade é estar tão próxima à Buenos Aires. Quase sempre, os brasileiros que viajam para o Sul visitam ambas, e fica impossível não comparar. Nesse sentido, a capital do Uruguai sai sempre perdendo.

Minha dica: gaste apenas um ou dois dias por ali e concentre-se em Punta e Colonia.


5. Monteverde

Minas Gerais

Entrada de Monte Verde

Sei que serei xingado por muita gente, mas, na minha opinião, para quem está acostumado a Campos do Jordão (SP), hospedar-se em Monte Verde significa um downgrade.

Não estou dizendo que “Monte Verde é ruim” – longe disso. Mas ela tenta rivalizar com a prima de montanha paulista, sem conseguir realmente se aproximar em termos de atrações naturais, culturais, gastronômicas ou hoteleiras.

Sem falar na dificuldade de acesso, na infraestrutura menos eficiente, no atendimento mais desleixado em hotéis e restaurantes, assim como nos preços tão salgados quanto os de Campos do Jordão. Visitei a cidade duas vezes e só consolidei essa impressão.

Espero um dia mudar de ideia e passar considerar Monte Verde um destino imperdível.


Concorda? Discorda? Deixe sua opinião aí embaixo, na área de comentários!

11 comentários em “Cinco lugares que decepcionaram”

  1. Coragem para falar a verdade sobre Monte Verde rsrs.
    A cidade vive de muita propaganda, mas os serviços não fazem jus aos preços salgados cobrados.

  2. Só conheço Montevidéu da lista, concordo com sua colocação e acrescento. Fui em fim de ano e ela parecia uma cidade fantasma. Poucas pessoas na rua, possivelmente porque o povo sai da cidade para lugares mais badalados e interessantes.

  3. Estive no Uruguai antes da pandemia e visitei as 3 cidades mencionadas. Adorei Montevidéu. Achei uma cidade calma, arborizada, limpa, cheia de praças. Moraria lá com certeza.
    Egito está nos planos.

  4. Concordo principalmente com monte verde. Furada. Campos do Jordão é linda! Bem cuidada! Uma orquestra sinfônica dentro de um bosque. Muitas atividades culturais. Se engana quem acha que Campos é só gente esnobe. É ficar no superficial. Já monte verde……furada e cara!!!!

  5. Discordo de Detroit, achei sensacional aquele clima apocalíptico e ao mesmo tempo de renascimento. O estádio do Lions é majestoso e a cervejaria que fica bem próxima é uma das melhores dos EUA !

  6. Concordo sobre Monte Verde. Porém tbm não gosto de Campos do Jordão, acho uma cidade superestimada e extremamente cara.
    Caro por caro prefiro Gramado, lá sim tem inúmeras opções de hotéis, restaurantes e atrações turísticas.

  7. Muito legal Mancha !! De todas aí só posso falar de Montevideo. Realmente é uma cidade com partes bem bonitas em Punta Gorda, Punta Carretas e Pocitos. No Centro tem a Plaza Independência e … só (de mercante). Do Mercado Central não achei nada demais.

    Só fui 1x para lá e achei a cidade vazia, TRISTE e sem vida. Não sei se ficando mais dias terei outra percepção, mas em um final de semana tive essa impressão.

    No ano seguinte fui para Buenos Aires e ali era algo totalmente diferente! Buenos Aires tem vida, energia, é uma cidade vibrante até altas horas da madrugada e tem o seu fascínio. Não tem comparação com Montevideo.

    Na minha próxima ida ao Uruguay quero visitar Punta del Este e Colonia.

    Sobre Monte Verde, um casal de amigos foi para lá e gostou. Ainda espero ir para tirar minhas conclusões.

  8. Paulo, boa noite, discordo de sua opinião sobre o Cairo. Na verdade o Egito comete o grande erro de levar o pessoal visitante somente em locais turísticos que realmente deixam a desejar, fora as piramides. Procure no youtube o programa feito pelo Tasos Dousis (Kairo), um grego que mostra muitas cidades, onde é possível visualisar uma realidade diferente da turística no Cairo. Ele mesmo cita a dificuldade de ir de um lugar para outro por um” certo controle “. Atenciosamente .

  9. Jorge, a questão não é “falta de opções”. Está bem claro no texto que o problema do Cairo é a cidade em si, muito suja, mal administrada, mal sinalizada e com infraestrutura de transporte simplesmente impossível de usar para um estrangeiro. É uma cidade pouquíssimo “tourist friendly”. Não faz diferença ter boas atrações se, antes e depois de ir a elas, você se sente mal, perdido e inseguro o tempo todo. Essa é a questão.

Faça seu comentário aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s