Desafio ao Comunismo

HILTON BUDAPESTE (Hungria)

Ele foi inaugurado em plena era comunista, mas com todos os luxos de um hotel norte-americano. Conheça o Hilton Budapest, no ponto mais belo da capital da Hungria

Este slideshow necessita de JavaScript.

Poucos hotéis no mundo oferecem vista panorâmica comparável à dele. E igualmente raros têm uma história tão peculiar. Em 1977, quando ninguém sonhava que o comunismo pudesse um dia acabar, os húngaros deram um passo simbólico rumo a uma nova era: permitiram a construção de uma unidade da cadeia norte-americana de hotéis Hilton no ponto mais nobre de sua capital – o milenar distrito do Castelo de Budapeste, nas colinas às margens do Rio Danúbio.

Esse verdadeiro ato de rebeldia, que enfureceu os líderes soviéticos em Moscou, foi um sinal do que ocorreria 15 anos depois no país do compositor Franz Liszt e do jogador de futebol Ferenc Puskas. Com o fim do modelo socialista no começo dos anos 1990, a Hungria se abriu para o mundo e sua capital virou um dos mais procurados destinos turísticos da Europa. E, assim, o Hilton Budapest se tornou um ícone da cidade.

Vista do Danúbio – Hospedei-me no Hilton Budapeste numa suíte standard, mas com uma vista panorâmica que me fez perder a hora dos compromissos: não dava pra parar de fotografar a paisagem.

O hotel ocupa um penhasco no coração medieval de Buda, voltando suas sacadas para o lado de Pest, na outra margem do rio, de cara para o gigantesco edifício do Parlamento Húngaro – o terceiro maior do gênero no mundo e uma das mais belas obras arquitetônicas de toda a Europa.

O engenhoso projeto do Hilton permitiu integrar suas dependências às paredes de um antigo mosteiro dominicano do século 13, mesclando o visual antigo e moderno. Durante a construção, vale dizer, arqueólogos foram chamados diversas vezes. Sob a terra da colina, descobriu-se a fachada de um colégio de jesuítas de 1688, que é hoje a entrada principal do hotel. No claustro restaurado, há relíquias de 2000 mil anos, já que a fronteira do Império Romano era esta margem do Rio Danúbio. Hoje, o antigo lugar de culto serve como um salão de restaurante a céu aberto.

Patrimônio da Unesco – Graças a tudo isso, o hotel é tombado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Ao seu lado despontam sinuosas ruas medievais lotadas de cafés e restaurantes acolhedores. Mas ninguém precisa sair para degustar os melhores pratos da culinária húngara. O restaurante Icon, no térreo do hotel, é moderno e elegante, oferecendo 16 janelas panorâmicas com vista para o Danúbio. Serve desde receitas locais, como o pato com tempero de lavanda, até outras de inspiração mediterrânea, a exemplo dos assados de carneiro. Recentemente, ficou tão famoso que suas mesas passaram a ser disputadas arduamente para o suntuoso brunch dos fins de semana.

O Lobby Bar também impressiona com sua saída para o pátio dominicano e com seus cafés e doces típicos. Não faltam o tradicional strudel e os marzipãs de todos os sabores, que podem ser acompanhados do peculiar vinho tokai, o néctar das uvas atacadas pelo fungo Botrytis cinerea, que, em vez de estragá-las, as torna mais doces e altamente aromáticas. Uma exclusividade dos vinhedos da Europa Central.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A cidade dos spas – Mas e os quartos? São 322 habitações pra lá de charmosas, com TV de tela plana, canais por satélite e outros de filmes fornecidos pelo próprio hotel, banheira ampla, controle individual de ar-condicionado, frigobar, roupões e chinelos, além de maquina de café expresso e chá, jornais internacionais entregues diariamente e, claro, internet de alta velocidade.

Há ainda um fitness club, solário, sauna e salões de massagem. Alguns hóspedes recém-chegados costumam questionar a falta de uma piscina. A explicação é simples. Budapeste é conhecida como “a cidade dos spas”, graças às dezenas de fontes geotermais que se espalham por seus domínios. Sobre essas fontes foram construídos vastos complexos de piscinas de águas sulfurosas a mais de 35 graus. As termas são verdadeiras obras de arte, que não apenas proporcionam relaxamento, mas também maravilham os olhos. E o Hilton Budapeste fica a menos de 15 minutos de quase todas elas.

Hilton Budapeste – Hess András tér 1-3, Budapest, Hungria, hospedagem em abril de 2012

  • Diárias: €102 (casal)
  • Para crianças? Não
  • Romântico? Sim
  • Natureza? Não
  • Vistas panorâmicas? Sim, nota 10
  • Esporte? Não
  • Conforto (de 1 a 10): 8
  • Gastronomia (de 1 a 10): 7
  • Spa (de 1 a 10): O hotel não tem, mas há vários pela cidade
  • Hospitalidade (de 1 a 10): 9
  • Passeios (de 1 a 10): O hotel não oferece, mas está em área histórica

Saba mais: www.budapest.hilton.com

 

Faça seu comentário aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s